Sobre Nós

Um pouco sobre nós



História da Instituição

O Lar Maria Droste, é uma Fundação no âmbito da Solidariedade Social desde 21 de Maio de 1928 e rege-se pelos princípios das Instituições Particulares de Solidariedade Social - I.P.S.S., sem fins lucrativos.

O Lar Maria Droste, é uma Fundação no âmbito da Solidariedade Social desde 21 de Maio de 1928 e rege-se pelos princípios das Instituições Particulares de Solidariedade Social - I.P.S.S., sem fins lucrativos. Acriação da Fundação partiu do Comandante da Polícia de Lisboa, Sr. Ferreira do Amaral, que a propôs ao Governo pedindo a presença de uma Ordem Religiosa para se ocupar da sua organização. O Governo acedeu à proposta e fez o pedido ao Sr. Cardeal Patriarca de Lisboa, D. António Mendes Belo que, por sua vez, delegou no Reverendo Padre Governo a responsabilidade de fazer as diligências necessárias para que a ideia se realizasse. Este contactou a Congregação do Bom Pastor e o pedido foi aceite. Começou a funcionar no antigo Palácio dos Condes de Mossâmedes, comprado pela Comissão Central de Assistência de Lisboa e a 3 de Novembro de 1927 chegaram d`Angers - França (Casa mãe da Congregação) as quatro primeiras religiosas, com o fim de fundar o Instituto de Sta. Madalena, designação então atribuída à atual Lar Maria Droste.As atividades do Instituto, à data da sua abertura, em 1928, tinham por fim apoiar jovens e mulheres em situação de risco, em regime de internato, ajudando-as a valorizar-se a todos os níveis e a reconhecer a sua própria dignidade.

No ano de 1928, o Instituto de Sta. Maria Madalena acolhe as primeiras jovens e mulheres, em situação de risco, permanecendo em regime de internato. Em 1939, a direção da Fundação passou a estar a cargo das Irmãs da Congregação do Bom Pastor. Nos anos 70 a Fundação forma um grupo em regime de semi-internato, com o intuito de responder às carências da comunidade envolvente. Em 18 de Dezembro de 1984, foi alterado o seu nome, passando a designar-se “Lar Maria Droste”, tendo os seus Estatutos sido aprovados pelo Patriarcado de Lisboa. A 29 de Julho de 1985, a Instituição foi registada como I.P.S.S. e em 1997, a propriedade onde se encontra a funcionar é cedida pelo Estado a favor do “Lar Maria Droste”. Em Agosto de 2005 a Fundação passa a funcionar apenas com a resposta de casa de Acolhimento, deixando de existir a Escola do Ensino Básico Mediatizado nº 1384.